quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Militância 2.0

João Nogueira Santos é um nome perfeitamente desconhecido para a grande maioria dos portugueses. Colado ao nome está um homem que o expresso, na sua edição de 16 de Outubro, deu a conhecer, assim como as suas ideias sobre a política.

Há 2/3 anos num jantar de amigos e no meio de uma discussão sobre política, deu consigo a questionar-se sobre a sua geração, a sua participação na sociedade e a crítica aos partidos políticos.
Para este homem, a sua geração (grosso modo dos 35 aos 50 anos) tem sido muito bem tratada pela democracia e deve muito aos partidos políticos. Embora poucos dessa faixa militem em algum partido, como podem então criticar os partidos se não participam.
Em Fevereiro lançou no faceboock o movimento “Adere, vota e intervêm dentro de um partido. Cidadania e mudança” e conta já com mais de 3000 membros.
Ao expresso diz considerar que os partidos estão esvaziados, desqualificados e funcionam em circuito fechado, pelo que defende o caminho inverso, o de adesão aos partidos, onde passe a existir uma imensa maioria de militantes, com vida fora dos partidos, e que leve os problemas da sociedade para o seu interior, e assim possam ajudar a eleger as pessoas capazes de responder aos desafios da sociedade.
Uma espécie de militância 2.0, o movimento adopta como lema “A penalização por não participares na política é acabares por ser governado pelos teus inferiores”.