quinta-feira, 14 de abril de 2011

O FMI e o Titanic

O RMS Titanic foi um transatlântico da Classe Olympic propriedade da White Star Line. Foi construído nos estaleiros da Harland and Wolff em Belfast, na Irlanda do Norte.
Na noite de 14 de Abril de 1912, durante a sua viagem inaugural, com inicio em Southampton e destino a Nova York, chocou com um iceberg no Oceano Atlântico e afundou-se duas horas e quarenta minutos depois, na madrugada do dia 15 de Abril de 1912.
Com 3.547 pessoas a bordo, o naufrágio resultou na morte de 1.523 pessoas, e é considerada uma das piores catástrofes marítimas de sempre. O Titanic foi construído com base na mais avançada tecnologia disponível na época e foi popularmente referenciado como "inafundável" - na verdade, um folheto publicitário de 1910, da White Star Line, sobre o Titanic, alegava que ele fora "concebido para ser inafundável".
Foi um grande choque para muitos que, apesar da tecnologia avançada e da experiente tripulação, viram o Titanic afundar-se levando consigo  uma grande quantidade vidas humanas.
Os meios de comunicação social sobre o frenesi de vítimas famosas do Titanic, as lendas sobre o que aconteceu a bordo do navio, as mudanças resultantes do direito marítimo, bem como a descoberta do local do naufrágio em 1985 por uma equipa liderada pelo Dr. Robert Ballard, fizeram com que a história do Titanic continuasse famosa.
Olhar para Portugal hoje, com a entrada do FMI, faz-me lembrar um pouco a história do Titanic. E a banda continua a tocar…