quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Bom 2011

A tradição de comer 12 passas e 12 pedir desejos na transição de cada ano, além da rapidez com que há necessidade de o fazer, parece não trazer grandes resultados, pelo menos para mim nunca dei por tal.

Com os anos vamos refinando os nossos pedidos e poupando na quantidade de desejos, porque as passas essas são comidas até última. Mesmo não sendo grande adepto de tal tradição, a mesma serve para renovar a ideia de um futuro melhor. O passado de ontem é sempre pior que o de antes de ontem e estes desejos de novas “conquistas” para o novo ano servem, pelo menos, para o encarar com outra atitude, mais positiva.
Geralmente os desejos que todos os anos vamos pedindo são os que a grande maioria das pessoas pede. Fui-me adaptando às circunstâncias e passei a pedir (para não fugir à tradição) um ou dois desejos, daqueles que são pessoais, e que às vezes também se estendem aos amigos e familiares.
Os meus pedidos para 2011 são talvez sonhos. Mas também é preciso sonhar. Não custam um euro, não pagam impostos e não afectam ninguém.
Para se realizarem também é preciso atitude. Atitude de cada um no cumprimento dos princípios da solidariedade, da fraternidade e da igualdade. Atitude no combate ao ostracismo, à mentira, ao egoísmos e à falta de decência.


Um Bom 2011