quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Zé do Boné


Passam hoje 25 anos sobre a morte de José Maria Pedroto, que aos 56 anos foi “roubado” à família do futebol português.
Para os adeptos do futebol, que como eu não são adeptos do F.C. do Porto, não podem no entanto deixar de reconhecer que foi ele quem idealizou o Porto europeu.
Enquanto jogador passou pelo Lusitano de VRSA, Belenenses e F.C. Porto, onde foi campeão nacional em 1955/56 e em 1958/59. No Porto conquistou também uma Taça de Portugal.
Em 1960, é o primeiro treinador Português com curso superior. Foi um treinador com excelentes capacidades técnicas associadas a um discurso agressivo, que viria mais tarde a caracterizar outro José (Mourinho).
Como treinador, a selecção portuguesa de juniores conquista o seu primeiro título Europeu!
A primeira equipa sénior que treinou foi a Académica, depois treinou o Leixões e o Varzim, que estava no seu 2º ano na primeira divisão.
Em 1966 realizou um sonho: tornar-se treinador principal do FC Porto, onde ficou até 1969, tendo vencido uma Taça de Portugal. Foi depois para o Vitória de Setúbal, sendo uma vez vice-campeão, uma vez finalista da Taça. Ainda coleccionou três terceiros lugares e um quarto lugar nos Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão em que participou entre as épocas de 1969/70 e 1973/74 e obteve excelentes prestações nas competições europeias, atingindo por duas ocasiões os quartos de final da Taça Uefa, concretamente nas épocas de 1970/71 e em 1972/73.
Em 1974 foi treinar o Boavista, onde em dois anos obtém um 2º lugar no campeonato e vence 2 Taças de Portugal.
Regressou ao F.C. Porto em 1976 onde venceu dois Campeonatos (1977/78 e 1978/79) e uma Taça de Portugal. No ano seguinte ruma a Guimarães para treinar o Vitória local onde esteve 2 épocas, obtendo um 4º e um 5º lugar.
Volta ao seu F.C. Porto em 1982/83, já com Pinto da Costa como presidente, tendo vencido uma Taça de Portugal e sido finalista da Taça das Taças. No seu regresso ao Porto são forjados os alicerces de um F.C. Porto que posteriormente conquista os títulos de Campeão Europeu e do Mundo.

Terminou a vida (a tentar satisfazer os seus últimos desejos, bebendo whisky por uma colher e fumar um último cigarro) de homem invulgar que seguramente marcou uma época e um estilo no futebol português.

Palmarés
Como jogador
• 2 Campeonatos Nacionais
• 1 Taça de Portugal
• 17 internacionalizações

Como treinador:
• 2 Campeonatos Nacionais
• 5 Taças de Portugal
• 4 vezes finalista da Taça de Portugal.